Em entrevista com o Padre Lorival nesta terça-feira, o mesmo informou que ontem, 24, no final da tarde, foram retirados os despojos de Nelsinho Santana da sepultura do cemitério de Araraquara.

Na presença do pai de Nelsinho, Senhor João Joaquim, do Bispo da Diocese de São Carlos Dom Paulo Sérgio, da Postuladora Ana Lúcia, dos postuladores da comissão de beatificação do Vaticano, os padres Paolo Vitola e Paolo Lombardo realizaram a retirada e transladaram o mesmo para Ibitinga.

Desde a manhã desta terça-feira, em ritual fechado ao público, a comissão está realizando a chamada “aplicação dos últimos remédios” nos despojos para sua exumação e devida colocação na urna, sendo depositado em definitivo na cripta construída no interior da Igreja.

Esclarecendo, padre Lorival comunicou que hoje não haverá nenhuma cerimônia solene. Entretanto, Nelsinho Santana está em Ibitinga e no dia 20 de dezembro, às 19h30min horas, será realizada a cerimônia de solenidade que encerra a etapa do processo de beatificação pela Diocese de São Carlos e deposita a urna com os despojos do Menino na Cripta construída no interior da igreja.

A partir daí, o processo será encaminhado para o Vaticano que irá analisar pesquisar e determinar assim sua beatificação e possível santificação.

Até esta data, os restos mortais do menino estarão guardados em uma urna em local secreto.

Padre Lorival afirmou ainda que, no dia 20 de dezembro, após a celebração, será realizado um jantar para toda a comunidade celebrar com alegria o evento.

Nossa reportagem não conseguiu falar com os postuladores em decorrência das atividades que estão programadas para a exumação. Entretanto, acompanhe a seguir, nesta quarta-feira, dia 26, na íntegra, a entrevista realizada com Padre Lorival, que notoriamente manifestou a alegria e a satisfação da vinda dos despojos de Nelsinho Santana para Ibitinga.

CONHEÇA A HISTÓRIA DE NELSINHO:

Filho de trabalhadores rurais, Nelsinho era o terceiro dos oito filhos do casal João Joaquim e Ocrécia. O menino caiu na fazenda onde os pais viviam e teve dores insuportáveis, vindo a amputar um dos braços, que o levaram a duas internações antes de morrer. Ele encarou tudo com humildade e avisou ao padre que Jesus o havia chamado. A vontade de Nelsinho era “passar o natal no céu”. Ele morreu na véspera e foi sepultado no dia de natal como indigente, pois a família não tinha dinheiro para pagar o funeral, depois, sua sepultura perpétua foi doada por uma família religiosa.

O Padre Gerhard Rudolfo Anderer, de 75 anos, que conviveu com o garoto, é uma testemunha qualificada e já publicou um livro (“Nelsinho para Todos”, pela Editora Santuário) que é distribuído gratuitamente pela igreja.

No livro, padre Anderer, cita como suposto milagre atribuído a Nelsinho, que será enviado ao Vaticano, ocorrido em 2007, quando o menino Vitor da Silva Leitão, de 1 ano, que sofria macroencefalia (crescimento anormal do crânio), foi curado, em Brasília, sem explicação médica. A família de Vitor tinha recebido a certidão de óbito de Nelsinho e pediu sua intercessão, caso o vaticano confirme o milagre, ele será considerado venerável. O passo seguinte, como outro milagre comprovado (Anderer tem mais dos catalogados para análise da igreja), seria a beatificação, antes da canonização (entrada na lista dos santos).

O caminhoneiro Antônio Joaquim de Santana, de 54 anos, é um dos irmãos de Nelsinho, o quarto da família, diz que ficou sabendo da veneração ao túmulo do irmão e dos citados milagres há cerca de cinco anos. “nunca mais tínhamos voltado a Araraquara”, explica ele. “a família está feliz na expectativa dele virar santo”.

Fonte – Portal Ternura FM